sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Homesick


Às vezes nem é preciso estar de TPM para bater uma melancolia... Hoje eu estava subindo o elevador com um vizinho que apertou algum andar antes do meu. Quando chegou no destino, por coincidência, a porta estava aberta. Deu para ver a família toda, sentada à mesa. Estavam conversando, rindo. Enfim, almoçando juntos.

E eu segui o meu caminho; mais um almoço sozinha. Sinto tanta falta dos almoços barulhentos lá de casa. Da mesa farta (cozinhar para um só não dá prazer. Nem vario o cardápio). Mesmo que isso tenha ficado num passado tão distante quanto os meus 17 anos. Foram poucos almoços em uma mesa com mais de uma pessoa desde que fui para a faculdade. E como isso faz falta!

Em casa, a hora da refeição é a hora de botar o bapo em dia. Falar da vida alheia, da economia, da política, da gente mesmo.

É duro ficar tão longe....

4 comentários:

Re disse...

Minha família sempre foi pequena, por morarmos em sao paulo longe dos demais. Mas desde que meu pai morreu parece que a mesa ficou vazia demais, talvez pelo fato dele ser barulhento, falante, engraçado, comilão.... tudo isso deixou minha vida e minha mesa bem vazia.
beijos
Re

Virgínia disse...

E é um vazio que não diminiui... não tem jeito. Apesar da gente tentar ver os acontecimentos de forma positiva (o que é impossível). Bj

Cláudia disse...

Eu também sempre morei longe da familia, tanto quando era solteira, pq éramos que não moravam no ES, quanto depois que me casei.
Acho que acostumei, mas acabo pegando emprestada a família da minha amiga, os pais dela se parecem muito com os meus, e me sinto em casa com eles.
Sem contar que tenho a Belezinha, e quando a gente tem filhos, nunca mais se sente só no mundo.
beijo

Virgínia disse...

Talvez seja isso que esteja faltando... uns amigos para eu (e o marido) visitar no fim de semana e um filho para ocupar a semana! ahsduashduahdu "Amigos" aqui na terra de Malboro tá difícil. Filho? Ai... só depois do concurso. Bj