sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Judiação



Acho que a manchete já diz tudo. Que judiação com os "novos" pais, com o bebê, com a família.

Tá certo que, não faz muito tempo, as pessoas se casavam e tinham filhos muito cedo. Carlota Joaquina casou aos 10! Mas isso acontecia numa época na qual a expectativa de vida era pequena. Onde as crianças era consideradas adultos em miniatura, inclusive (já na Revolução Industrial) trabalhando como tal.

Também concordo que existem culturas que ainda hoje aceitam e incentivam o casamento precoce. Não sei se é o correto (a questão cultural não pode ser desculpa para tudo nesse mundo), mas pelo menos essas crianças são preparadas para enfrentar isso.

Agora esses dois não foram criados para serem pais tão precocemente. O rapazinho ainda devia brincar nas horas que não estava "molhando o biscoito". É uma ruptura com a infância grande demais.

Mais uma vez me pergunto: onde estavam os pais dessas crianças? Que não orientaram, não perceberam nada, ou não quiseram ver nada! Uma pena...

9 comentários:

Re disse...

O Pior é que ele tem 13 e parece que tem 8.... Deve ser irmão da Maysa....
Afe!
beijo
Re

Re disse...

Vi, fiquei passada tb qdo vi essa noticia no Uol..socorro, eh uma criança tendo outra...juro, nao sei onde isso td vai parar. Bjs

Cláudia disse...

Olha, Virginia, nem sempre a responsabilidade é dos pais. Um exemplo besta é quantas vezes sua mãe te dizia: não esquece o casaco, e você largava no colégio?
Por mais que a gente oriente, fale, ensine, mostre, chega um momento em que a decisão está nas mãos do filho. E uma única decisão errada, cinco segundos, podem mudar a vida de alguém, mesmo que este alguém tenha sido um primor de educação, retidão e responsabilidade até aquele momento.
Este é o grande risco e o grande temor da paternidade: o momento em que a decisão foge das nossas preocupadas mãos.
beijo

Virgínia disse...

Cláuda: Eu concordo quando você fala que os pais não podem estar presentes em tudo. Eu mesma já dei as minhas bolas fora (apesar de nunca ter escondido nada da minha mãe; não é uma questão de amizade, mãe, para mim, não é melhor amiga para trocar confidências, mas a pessoa que nos dá suporte na vida), mas um casaco (sei que é só uma metáfora) é bem diferente de uma "trepada".
Sei lá... mas você está certíssima. Os pais podem até falar, mas se os filhos não ouvem... Bj

Natthy disse...

realmente muito chocante
crianças tendo crianças...
Olhando para o menino diria que ele tem uns 8 anos
loucura

Adriana Mello disse...

Na minha época de adolescente, uma irmã de uma amiga minha, foi mãe aos 13 anos. Nunca esqueci isso. É uma criança cuidando da outra. Não entendo.
Beijos

Lucia Cintra disse...

Qdo vi isso, achei o cumulo do absurdo! Agora quem eh que vai sustentar a crianca? Claro que os pais deles, ne?

Olha, eu sei que certas coisas acontecem devido a falta de orientacao dos pais, influencia dos amigos e o que quer que seja, mas cada dia que passa, menos eu tenho vontade de ter filhos. Brincadeira.

Virgínia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Virgínia disse...

Natty: Não parece que ele ainda está na primeira série? Vai ser avô com uns 30 anos!

Dri: Tive amigas que engravidaram, mas elas já estavam saindo da escola. Mas mesmo assim foi difícil. Imagina no caso deles?!

Lúcia: ahdahudhaudh Não seja radical! Eu vi uma vez o Mário Prata (cronista) dizendo algo que minha mãe adora repetir: Filho é bom; mas dura muito! ashduahduahdauhd Bj