terça-feira, setembro 01, 2009

O DNA não nega!

Eu já disse para vocês que minha mãe é a rainha do fora, né? Mas isso não surgiu do nada, afinal genética é algo que existe ou vocês acham que aquele negócio de ervilha do Lamarck na aula de biologia era papo de vestibular?

E minha mãe teve a quem puxar, ô se teve! Um dia minha avó estava no supermercado. Naquela época de inflação, quando a gente voltava para casa com tanta comida que parecia que estávamos estocando para o caso de haver uma 3ª Guerra Mundial ou um ecatombe nuclear, os carrinhos eram super cheios, gigantes e era um saco ir ao supermercado (se bem que algumas pessoas não gostam de ir até hoje).

Como eu disse, lá estava minha avó fazendo as compras, concentrada nos preços. O supermercado estava cheio. Depois de escolher o produto na prateleira, ela colocou no carrinho e saiu andando. Logo atrás veio um moço correndo, gritando. Quanto mais ele chegava perto, mais a minha avó apertava o passo. O que ele queria? Se ela pegou o produto, problema é dele que era lerdo.

A perseguição durou alguns metros entre os corredores, quando finalmente o rapaz gritou: Ô Dona!! Devolve o carrinho! Eu acho que aí tem muito caldo Knnor para uma pessoa só!

Foi quando a minha avó resolveu parar e olhar. Ela tira pegado o carrinho do funcionário do supermercado. Lotado de caldos de galinha! Foi uma risada só! Não teve um que não olhou para aquela senhora toda elegante (como só ela era! Já falei que ela usava Fórum? Aos 70 anos?), fugindo do funcionário, com um carrinho errado...

4 comentários:

Lucia Cintra disse...

Ai que mico! Mas eu ia cair na gargalhada.

Eu fiz algo parecido um mes atras no supermercado. Assim que entramos la, ja estamos na sessao de frutas/legumes, etc... Enquanto eu pegava umas frutas, Al decidiu ir buscar um carrinho, pois nao tinhamos entrado com um.

A porta do supermercado ficava logo ali atras de mim e quando acabei de pegar as frutas, calhou de um homem estar entrando com um carrinho. Nao olhei pra ele e ja fui assumindo que era meu marido e imediatamente quando me virei, ja fui colocando o saco de frutas ali no carrinho.

Ele olhou pra mim e disse: "Wrong guy" (homem errado). Eu me assustei por um segundo, olhei pra cima e pro rosto dele e caimos na gargalhada ao ver que era a pessoa errada e vi meu marido entrando ali logo atras dele.

Que mico! Mas que foi engracado, foi! rs

bjos

Re disse...

Hahaha, adorei, que peça rara a sua avó. Bjs

Cláudia disse...

Irmã gêmea separada no nascimento do meu pai, que foi até a confecção e perguntou para uma das costureiras para quando era o bebê dela.
Preciso dizer que a pobre nem grávida estava?
Até hoje as demais caem na pele dela, ficam dizendo que vão fazer chá de bebê...
beijo

Renatinha disse...

hahaha, que delícia estes foras que nos fazem morrer de vergonha na hora,mas rendem boas histórias futuras....rs
beijo
re