sábado, janeiro 17, 2009

Coisas da vida que ninguém entende

Ontem acabou a minissérie da Globo sobre a Maysa. Confesso que não conhecia nenhuma música dela e só sabia que o Jayme era seu filho. Mas confesso que, para variar um pouquinho, chorei demais! Em todos os capítulos.

Li na FSP que a Maysa era nossa versão da Amy. Pode ser... mas há uma impropriedade no texto. Amy é a Maysa dos ingleses, afinal ela nasceu e morreu antes!

Deixando essas constatações de lado, não vou ficar aqui tentando descobrir o que levou uma mulher rica, bonita e talentosa a chegar no fundo do poço e continuar cavando. Não sou psiquicanalista. Só fico pensando: você, como filho, perdoaria e entenderia aquela mãe? Aquela mulher que não era nada além de uma estranha, que foi capaz de te deixar 10 anos internado em uma escola no exterior e praticamente não lhe fazer visitas? Nem enviar cartas?

Eu acho que não conseguiria! É descaso demais, para dizer o mínimo. Concordo que ela foi uma pessoa infeliz, com sede de felicidade. Mas isso, na minha opinião (baseada simplesmente numa minissérie - a biografia vai ser o próximo livro adquirido; já falei que adoro biografias?), a tornou egoísta.

Triste vida; triste fim.

PS: Preciso dizer que fiquei mais comovida com o marido do que com ela? Fiquei com pena dele! Tanto amor desperdiçado...

2 comentários:

Cláudia disse...

Olha, eu era muito pequena e já adorava as músicas dela. Mas vendo a minissérie, minha opinião sobre ela é: um porre de chata, histérica, egoísta.
Nem vou mencionar o episódio do filho, que é mais que lamentável.

beijo

Virgínia disse...

Fico pensando se não carregaram nas tintas de propósito, para dar mais audiência... de qualquer forma, assim que tiver uma folguinha vou comprar a biografia. Mas tenho uma lista antes de livros que quero comprar! Bj