domingo, agosto 10, 2008

Viagem - Parte 3

Apesar de ser gigante no comprimento (são 2mil km de norte a sul), o Chile é bem fininho de largura. Ir das Cordilheiras até o Oceano Pacífico não leva mais que 2 horas.

As cidades litorâneas mais conhecidas são Viña del Mar e Valparaíso. É possível partir para lá de ônibus (saíndo de Santiago) ou de carro. O aluguel de um carro bom (da Toyota) sai por US$80 por dia na Avis.

Das duas vezes que fui passear por essas cidades, foi bem rápido. Então, não tenhos dicas valiosas. Mas acho que vocês devem conhecer.

Valparaíso é uma cidade portuária e, na minha opinião, nada bonita. Lá fica o Congresso chileno e uma das 3 casas do Pablo Neruda. Ela segue a mesma linha das outras: apertadinha, com uma bela vista e cheia de objetos estranhos! Definitivamente não é uma casa para moradores idosos. Vale a visita, sem dúvidas.


Viña é uma cidade bem mais charmosa. Prédios novos, bons restaurantes e shopping (sem dúvida o passeio preferido da minha mãe!). Existe também o Hotel Del Mar, que possui um cassino aberto a todos. Mesmo que você não seja um jogador nato, é legal a diversão. A gente gasta pouco (US$10) e fica horas se divertindo na roleta eletrônica (afinal, apostas de 1 em 1 leva teeeemmmmpo para perder tudo!).

Viña tem um por-do-sol lindo. Aqui no Brasil são poucos os lugares onde podemos ver o sol descer no mar (Jericoacoara é um deles), por isso não se pode perder a oportunidade. É possível esperar escurecer e só depois voltar para Santiago. Ou ainda , dormir em Viña e aproveitar o Cassino (nós nos hospedamos no Best Western; fizemos a reserva pelo telefone daqui do Brasil e ainda conseguimos um preço melhor!).


COMPRAS

Outra coisa incrível de se fazer no Chile são compras (minha mãe que o diga! eheheheheh). O chilenos possuem acordos de importação com inúmeros países, o que diminui consideravelmente o preço de alguns produtos.

A melhor época para se comprar roupas de inverno a preço de banana é agora. E não é roupinha vagabunda, não! É de qualidade. Tenho casacos da primeira viagem que fiz para lá (são 6 anos) novinhos. E não paguei (na época) R$40 em cada um.

Muita gente gosta de procurar lojas nas ruas, mas nós somos diretas e vamos ao ponto, sem firulas. Se jogue na Falabella, na Ripley e na Paris! Vale cada centavo gasto. São as principais "lojas de departamento" do Chile (a Falabella existe na Argentina, mas se a mesma variedade) e podem ser encontradas em qualquer lugar. Não existe diferença de preço entre as lojas de rua e as que ficam nos Shoppings.

Por isso a gente vai direito no Parque Arauco. Lá é possível encontrar desde lojas chilenas até a incrível Diesel (com calças por 1/4 do preço encontrado no Brasil), a CK, a ZARA (valha me Deus!), a MNG, e por aí vai... Na mesma avenida, alguns quilômetros em direção às montanhas, está o Alto Las Condes.

É possível encontrar eletroeletrônico baratinho (o preço que paguei num DVD da LG em 2003 só hoje é possível ser encontrado no Brasil). Milhares de modelos de câmeras, notebooks (atenção ao teclado! Nem todos tem o acento circunflexo!!!!), rádios de carro, etc...

O que não compensa comprar: Perfumes e maquiagem. O Duty Free no Brasil tem preços infinitamente melhores. Portanto, não se empolgue na entrada dos lojas. Aqueles quiosques estão lá para desviar sua atenção! Siga firme em frente e se esbalde nas roupas!

2 comentários:

Re disse...

Vi, suas dicas do Chile estao sendo de gde valia pra minha viagem em setembro..eeeeeh, nao vejo a hr. Bjs,

Virgínia disse...

Re, que bom que você está gostando! Vai anotando aí e depois você diz do que gostou mais! Bj