segunda-feira, junho 08, 2009

Sinto muito...

Eu nem ia escrever nada, afinal há milhares de textos, fotos, notícias... Mas hoje li algo que me deixou ainda mais sensibilizada. Era uma moça, dizendo que a cada toque do telefone, ela tinha a impressão de que era o marido (acho), ligando para dizer que ele estava vivo, que estava numa ilha qualquer no meio daquele oceano.

Se ela pudesse ler o que eu vou escrever aqui, queria que soubesse que por meses eu senti a mesma coisa. Mesmo tendo visto o enterro pela televisão (não tive coragem de ir pessoalmente), no fundo eu queria que tudo aquilo não passasse de um engano. Que um dia meu pai telefonaria para dizer que estava vivo! Não sei quando parei de fantasiar isso...

É duro perder alguém se despedidas, sem dizer adeus, dizer que ama. Mas um dia, não sei quando, mas um dia, tudo isso vai ficar para trás e só as boas lembranças dos dias em que estavam juntos vão ficar. Mesmo que a saudade seja do tamanho do seu peito e o nó da garganda nunca se desfaça...

4 comentários:

Natthy disse...

Sei bem oq é não poder se despedir....Tbm perdi meu pai.....amanhã fazem exatamente 2 anos.....eu morando aqui no Japão eele no Brasil....
Eu estava no hospital pois tinha feito uma cirurgia...e ele faleceu....tinha conversado com ele uns dias antes e ele me disse q estava tudo bem....ainda leio o ultimo e-mail...vejo o ultimo video....tudo me machuca muito ainda...é uma dor sem tamanho

Lucia Cintra disse...

A dor da perda de quem amamos nao se compara a nada mais nesse mundo. Eh indescritivel, voce fica sem conseguir respirar, parece que esta embaixo d'agua e se sente completamente impotente.

Eu perdi minha mae ha quase 3 anos e meio atras de cancer. Nao foi algo de repente, mas quando ela realmente se foi, a angustia que senti no dia seguinte, sem poder fazer nada pra traze-la de volta, me derrubou completamente e so conseguia chorar e chorar.

O tempo ajuda, mas e' um momento extremamente dificil na vida de qualquer pessoa. A unica coisa que podemos fazer e' seguir em frente, um passo de cada vez...

Adriana Mello disse...

Virgínia,
Estou super emocionada com seu post. Perdi uma irmã de 18 anos em um acidente de carro. É uma dor insuportável que não passa nunca. Por mais estranho que possa parecer, vc aprende a conviver com essa dor, ela passa a fazer parte de vc. Mas passar, ela não passa.

Tb não tive coragem de ir ao enterro dela e me arrependo muito por isso. Acho que esse triste ritual da despedida fez falta no meu processo de luto.

Eu nem imagino com deve ser perder alguém em um acidente aéreo. Deve ser uma angústia insuportável. Tenho rezado muito´para as vítimas e os familiares desse acidente terrível. É só o que nos resta.

Cláudia disse...

:(